Como manter a organização financeira de uma empresa de energia solar

Robert Gregory Fischer, um dos fundadores da Topsun Energia Solar, acredita que uma empresa de energia solar exige uma gestão financeira adequada, controle dos gastos e um bom planejamento.


Como manter a organização financeira de uma empresa de energia solar

A organização financeira é o pilar de sustentação de qualquer empresa. Por isso, é necessário definir um conjunto de ações, que permitam manter um controle sobre as atividades monetárias que são desenvolvidas. Desse modo, é possível evitar prejuízos e perdas, além de otimizar o crescimento do negócio.

Na visão de Robert Gregory Fischer, um dos fundadores da Topsun Energia Solar, uma empresa de energia solar exige uma gestão financeira adequada, controle dos gastos e um bom planejamento, onde vão ser investidos os recursos disponíveis.

Antes de mais nada, é preciso traçar algumas estratégias/ações eficientes, que ajudam no processo de organização financeira da empresa.

1. Fluxo de caixa

Toda empresa necessita ter uma ampla visão de negócio, mensurando ganhos e perdas. É preciso realizar um monitoramento diário, para que seja possível conciliar o dinheiro que foi recebido, por meio das vendas, com aquele dinheiro que será pago aos funcionários, fornecedores, etc

Visando isso, é essencial atentar para sempre receber dos clientes antes da data de pagamento dos salários da equipe. Para realizar esse acompanhamento, é essencial que a empresa tenha um setor financeiro.

2. Definição de orçamentos

A definição de orçamentos é fundamental para que os gastos não saiam do controle. No caso de uma empresa de energia solar, é preciso definir todos os custos que envolvem a instalação, considerando sempre possíveis prejuízos. Por isso, você pode incluir um percentual de risco em cada orçamento feito para o cliente. Caso venha a ocorrer algum incidente, esse valor será destinado a cobrir o prejuízo.

A realização de uma campanha de marketing ou da exposição em alguma feira, por exemplo, para captar mais clientes, também exige custos que precisam ser calculados. Por isso, é preciso realizar um orçamento que defina o que pode ser gasto e quais são os limites da empresa. Isso garante uma maior organização financeira.

3. Contas empresariais X contas pessoais

Um grande erro cometido por algumas empresas está em confundir o dinheiro faturado com o lucro, não separando um devido percentual para os custos e os investimentos necessários para impulsionar o crescimento da empresa. Além disso, utilizam esse dinheiro para os gastos da vida pessoal/familiar.

Isso acaba levando muitos negócios à falência, pois começa a haver um descontrole financeiro, uma vez que os recursos econômicos são destinados para outros fins. É preciso se atentar ao que é custo, investimento e lucro.

4. Corte gastos desnecessários

É crucial que você sempre analise se determinados gastos valem realmente a pena e irão te trazer algum retorno. Por menor que ele pareça ser, é sempre um gasto, e ao somar com os outros diversos custos que uma empresa possui, sairá ainda mais caro. Portanto, é sempre importante pesar na balança se determinado gasto deverá ser efetuado.

Os principais tipos de prejuízos que uma empresa de energia solar pode sofrer

Para Robert Fischer, um dos fundadores da Topsun Energia Solar, existem várias situações onde podem ocorrer prejuízos financeiros. Um deles, é o erro no dimensionamento do sistema, desde a quantidade correta de módulos até a orientação instalada e possíveis sombras não consideradas.

Nesse caso, o sistema não vai gerar o que foi prometido em contrato e a empresa provavelmente terá que arcar com os custos das adequações. Outro caso em que o sistema pode gerar menos que o previsto é algum erro de instalação, algum conector mal instalado que possa gerar erro em alguma string.

Além disso, como é um equipamento com longa garantia, se o equipamento e o serviço não forem de qualidade, pode gerar um grande passivo para a empresa no futuro.

Trabalhar com produtos de qualidade, ter uma engenharia e mão-de-obra de instalação especializada e constantemente treinada para evitar perdas de geração (que possam causar alguma indenização para o cliente por não cumprimento do contrato), são algumas formas de evitar prejuízos para a empresa, na visão Robert Fischer.

Pilares da organização financeira da empresa

Para a empresa comprar bem e gastar os recursos com inteligência, é preciso ter informação, ou seja, um planejamento estratégico bem definido, utilizar ferramentas como fluxo de caixa, DRE e balanço, saber onde está gastando o dinheiro, identificar se a precificação utilizada é a correta, se está gerando os resultados projetados e caso não, conseguir identificar os desvios e corrigir.

Além de conceitos básicos como não misturar caixa da PJ com PF dos sócios, coisa comum em empresas menores. Robert Fischer também acredita que para fazer uma boa gestão, é preciso utilizar ferramentas adequadas para controle e identificação de problemas. Bem como, antever possíveis cenários adversos como o aumento de preços ou falta de mercadorias. Além de não misturar recursos da empresa com PF dos sócios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.